Sábado, 23 de Setembro de 2017

familia

Tropecei em um estranho que passava e lhe pedi perdão. Ele respondeu: “desculpe-me por favor; não a vi.” Fomos muito educados, seguimos nosso caminho, nos despedimos. Mais tarde, ao estar cozinhando, estava meu filho muito perto de mim. Ao me virar quase esbarro nele, imediatamente gritei com ele; ele se retirou sentido, sem que eu notasse quão duro que lhe falei.Ao deitar-me, Deus me disse suavemente: Trataste a um estranho de forma cortês. Mas destrataste o filho que amas. Vá a cozinha e encontrarás umas flores no chão, perto da porta. São as flores que cortou e te trouxe, rosa, amarela e azul. Estava calado para te entregar a surpresa e não viste as lágrimas que chegaram a seus olhos… Me senti miserável e comecei a chorar. Suavemente me aproximei de sua cama e lhe disse: “Desperta pequeno! Desperta! São estas as flores que cortaste para mim?” Ele sorriu e disse: As encontrei junto de uma árvore, e as cortei porque são bonitas como você, em especiaFilho, sinto muito pelo que disse hoje, não devia gritar com você. Ele respondeu: “está bem mamãe, te amo de todos os modos.” Eu também te amo e adorei as flores, especialmente a azul…. l a azul. Entenda que se morreres amanhã, em questão de dias a empresa onde trabalhas cubrirá seu posto. Mas a família que deixamos sentirá a perda pelo resto da vida. Pensa neles, porque geralmente nos entregamos mais ao trabalho que a nossa Familia. Será que não é uma inversão pouco inteligente?

publicado por Gina Geadas às 09:13
link do post | comentar | favorito

amo-te?

Dois irmãozinhos brincavam em frente da casa, jogando ao berlinde. Quando Júlio, o menino mais novo, disse ao irmão Ricardo: - Meu querido irmão, eu amo-te muito e nunca quero me separar de ti. Ricardo, sem dar muita importância ao que Júlio disse, pergunta: O que te deu rapaz? Que conversa estúpida é essa de amar? Queres calar a boca e continuar a jogar? E os dois continuaram a jogar a tarde inteira até ao anoitecer. À noite, o senhor Jacó, pai dos garotos, chegou do trabalho.Estava exausto e muito mal humorado, pois não havia conseguido fechar um negócio importante. Ao entrar, Jacó olhou para Júlio, que sorriu para o pai e disse: - Olá Pai, eu amo-te muito e não quero nunca me separar de ti! Jacó, no auge de seu mau humor e stress, disse: - Júlio estou exausto e nervoso. Então, por favor, não me venhas com besteiras! Com as palavras ásperas do pai, Júlio ficou magoado e foi chorar no cantinho do quarto. Dona Joana, mãe dos garotos, sentindo a falta do filho foi procurá-lo pela casa, até que o encontrou no cantinho do quarto com os olhinhos cheios de lágrimas. Dona Joana, espantada, começou a enxugar as lágrimas do filho. E perguntou: O que foi Júlio? Por que estás a chorar? Júlio olhou para a mãe, com uma expressão triste e disse-lhe: - Mãe, eu amo-te muito e não quero nunca me separar de ti! Dona Joana sorriu para o filho e disse-lhe: -Meu amado filho ficaremos sempre juntos! Júlio sorriu, deu um beijo na mãe e foi deitar-se. No quarto do casal, quando ambos se preparavam para se deitarem, Dona Joana,pergunta para o seu marido Jacó: -Jacó, o Júlio está muito estranho hoje, não achas? Jacó, muito stressado com o trabalho, diiz à esposa: -Esse rapaz só está querendo chamar a atenção… Deita-te e dorme mulher! Então, todos se recolheram e dormiram sossegado. Às duas horas da manhã, Júlio levanta-se e vai ao quarto do seu irmão Ricardo e fica observando-o a dormir... Ricardo, incomodado com a claridade, acorda e grita com Júlio: -Seu louco apaga essa luz e deixa-me dormir! Júlio, em silêncio, obedeceu ao irmão, apagou a luz e dirigiu-se ao quarto dos pais… Quando lá chegou, acendeu a luz e ficou a observar o seu pai e a sua mãe a dormirem. O senhor Jacó acordou e perguntou ao filho: - O que aconteceu Júlio? Júlio, em silêncio, só balançou a cabeça em sinal negativo, respondendo ao pai que nada havia ocorrido. Daí o senhor Jacó, irritado, perguntou ao Júlio: -Então, o que foi rapaz? Júlio continuou em silêncio. Jacó, já muito irritado, berrou com Júlio - Então vai dormir seu doente! Júlio apagou a luz do quarto, dirigiu-se ao seu quarto e deitou-se. Na manhã seguinte todos se levantaram cedo. O senhor Jacó iria trabalhar, a Dona Joana levaria as crianças à escola. E Ricardo e Júlio... Mas Júlio não se levantou. Então, o senhor Jacó, que já estava muito irritado com Júlio,entra a bufar no quarto do filho e grita: - Levanta-te seu vagabundo! Júlio nem se mexeu. Então, Jacó avança sobre o garoto e puxa com força o cobertor do filho com o braço direito levantado, pronto para lhe dar uma palmada, quando percebe que Júlio estava com os olhos fechados, e que estava pálido. Jacó, assustado, colocou a mão sobre o rosto de Júlio e pode notar que o seu filho estava gelado. Desesperado, Jacó gritou, chamando a esposa e o filho Ricardo, para verem o que havia acontecido com Júlio… Infelizmente o pior. Júlio estava morto e sem qualquer motivo aparente. Dona Joana, desesperada,abraçou o filho morto e não conseguia nem respirar de tanto chorar. Ricardo, desconsolado, segurou firme a mão do irmão e só tinha forças para chorar também. Jacó, em desespero, soluçando e com os olhos cheios de lágrimas, percebeu que havia um papel dobrado nas pequenas mãos de Júlio. Jacó, então, pegou o pequeno pedaço de papel. E havia algo escrito com a letra de Júlio. -"Outra noite Deus veio falar comigo através de um sonho. Disse-me a mim que, apesar de amar a minha família e de ela me amar, teríamos que nos separar. Eu não queria isso, mas Deus explicou-me que seria necessário. Não sei o que vai acontecer, mas estou com muito medo. Gostaria que ficasse claro apenas uma coisa: -Ricardo, não te envergonhes de amar o teu irmão. -Mãe, tu és a melhor mãe do mundo. -Pai, tu de tanto trabalhares esqueces-te de viver. -Eu amou-vos a todos vós!!! "SE ESTIVERES A CHORAR AO LER ISTO, NÃO TE PREOCUPES, É NORMAL!" Quantas vezes não temos tempo para parar e amar, e receber o amor que nos É oferecido? Talvez quando acordarmos possa ser tarde demais... Mas ainda há tempo! " DEVOLVE ESTA MENSAGEM PARA QUEM TE MANDOU E REENVIA-A A TODOS QUE TU TAMBÉM AMAS. " Muita gente vai entrar e sair da tua vida, ma somente verdadeiros amigos deixarão marcas no teu coração! Para te segurares, usa a cabeça; Para segurares os outros, usa o coração.Ódio é apenas uma curta mensagem de perigo. Aquele que perde um amigo, perde muito mais. Aquele que perde a fé, perde tudo. Jovem bonito é um acidente da natureza. Velho bonito é uma obra de arte.

publicado por Gina Geadas às 08:33
link do post | comentar | favorito

3 passarinhos

George Tomas, um pregador Inglês, apareceu um dia em sua pregação carregando uma gaiola e a colocou no púlpito, começou a falar. "Estava andando pela rua ontem, e vi um menino levando essa gaiola com 3 pequenos passarinhos dentro com frio e com medo. Eu perguntei: Menino o que você vai fazer com esses passarinhos? Ele respondeu: leva-los para casa tirar as penas e queima-los, vou me divertir com eles. Quanto você quer por esses passarinhos menino? O menino respondeu: - O senhor não vai quere-los, eles não servem para nada. São feios! O pregador os comprou por 10 dólares! E os soltou em uma árvore! Um dia Jesus e Satanás estavam conversando e Jesus perguntou a satanás o que ele estava fazendo para as pessoas aqui na terra. Ele respondeu: Estou me divertindo com elas, ensino a fazer bombas e a matar, a usar revolver, a odiar umas a outras, a casar e a divorciar, ensino a abusar de criancinhas, ensino os jovens a usar drogas, a beber e fazer tudo o que não se deve e que os conduzirá a maldição futura! Estou me divertindo muito com eles! Jesus perguntou: E depois o que você vai fazer com eles? Vou mata-los e acabar com eles! Jesus perguntou: Quanto você quer por eles? Satanás respondeu: você não vai querer essas pessoas, elas são traiçoeiras, mentirosas, falsas, egoístas e avarentas! Elas não vão te amar de verdade, vão bater e cuspir no Teu rosto, vão te desprezar e nem vão levar em consideração o que você fizer! Quanto você quer por elas satanás? Quero toda a tua lágrima e todo o teu sangue! Trato feito! E Jesus pagou o preço da nossa liberdade! Como nós podemos nos esquecer de Jesus! Acreditamos em tudo o que nos ensina, mas sempre questionamos as coisas que vem de Deus! Todos querem um dia estar com Deus, mas não querem conhece-lo! E ama-lo! Muitos dizem: Eu acredito em Deus, (Satanás também!), mas não fazem nada por Ele! As pessoas mandam piadas por e-mail e umas passam para as outras em uma velocidade luz!

publicado por Gina Geadas às 08:12
link do post | comentar | favorito
Sábado, 29 de Abril de 2017

...

>>>Entrei apressado e com muita fome no restaurante. Escolhi uma mesa >>>bem >>>afastada do movimento, porque queria aproveitar os poucos minutos >>>que >>>dispunha naquele dia, para comer e acertar alguns bugs de >>>programação num >>>sistema que estava a desenvolver, além de planear a minha viagem >>>de férias, >>>coisa que há tempos que não sei o que são. >>> >>> >>> >>>Pedi um filete de salmão com alcaparras em manteiga, uma salada e >>>um sumo de >>>laranja, afinal de contas fome é fome, mas regime é regime não é? >>> >>> >>> >>>Abri o meu portátil e apanhei um susto com aquela voz baixinha >>>atrás de mim: >>> >>> >>> >>>- Senhor, não tem umas moedinhas? >>> >>> >>> >>>- Não tenho, menino. >>> >>> >>> >>>- Só uma moedinha para comprar um pão. >>> >>> >>> >>>- Está bem, eu compro um. >>> >>> >>> >>>Para variar, a minha caixa de entrada está cheia de e-mail. >>> >>> >>> >>>Fico distraído a ver poesias, as formatações lindas, rindo com as >>>piadas >>>malucas. >>> >>> >>> >>>Ah! Essa música leva-me até Londres e às boas lembranças de tempos >>>áureos. >>> >>> >>> >>>- Senhor, peça para colocar margarina e queijo. >>> >>> >>> >>>Percebo nessa altura que o menino tinha ficado ali. >>> >>> >>> >>> >>> >>>- Ok. Vou pedir, mas depois deixas-me trabalhar, estou muito >>>ocupado, está >>>bem? >>> >>> >>> >>>Chega a minha refeição e com ela o meu mal-estar. Faço o pedido do >>>menino, e >>>o empregado pergunta-me se quero que mande o menino ir embora. >>> >>> >>> >>>O peso na consciência, impedem-me de o dizer. >>> >>> >>> >>>Digo que está tudo bem. Deixe-o ficar. Que traga o pão e, mais uma >>>refeição >>>decente para ele. >>> >>> >>> >>>Então sentou-se à minha frente e perguntou: >>> >>> >>> >>>- Senhor o que está fazer? >>> >>> >>> >>>- Estou a ler uns e-mail. >>> >>> >>> >>>- O que são e-mail? >>> >>> >>> >>>- São mensagens electrónicas mandadas por pessoas via Internet >>>(sabia que >>>ele não ia entender nada, mas, a título de livrar-me de >>>questionários >>>desses): >>> >>> >>> >>>- É como se fosse uma carta, só que via Internet. >>> >>> >>> >>>- Senhor você tem Internet? >>> >>> >>> >>>- Tenho sim, essencial no mundo de hoje. >>> >>> >>> >>>- O que é Internet ? >>> >>> >>> >>> >>> >>>- É um local no computador, onde podemos ver e ouvir muitas >>>coisas, >>>notícias, músicas, conhecer pessoas, ler, escrever, sonhar, >>>trabalhar, >>>aprender. Tem de tudo no mundo virtual. >>> >>> >>> >>>- E o que é virtual? >>> >>> >>> >>>Resolvo dar uma explicação simplificada, sabendo com certeza que >>>ele pouco >>>vai entender e deixar-me-ia almoçar, sem culpas. >>> >>> >>> >>>- Virtual é um local que imaginamos, algo que não podemos tocar, >>>apanhar, >>>pegar... é lá que criamos um monte de coisas que gostaríamos de >>>fazer. >>> >>> >>> >>>Criamos as nossas fantasias, transformamos o mundo em quase como >>>queríamos >>>que fosse. >>> >>> >>> >>>- Que bom isso. Gostei! >>> >>> >>> >>>- Menino, entendeste o significado da palavra virtual? >>> >>> >>> >>>- Sim, também vivo neste mundo virtual. >>> >>> >>> >>>- Tens computador?! - Exclamo eu!!! >>> >>> >>> >>>- Não, mas o meu mundo também é vivido dessa maneira...Virtual. >>> >>> >>> >>>A minha mãe fica todo dia fora, chega muito tarde, quase não a >>>vejo, >>>enquanto eu fico a cuidar do meu irmão pequeno que vive a chorar >>>de fome e >>>eu dou-lhe água para ele pensar que é sopa, a minha irmã mais >>>velha sai todo >>>dia também, diz que vai vender o corpo, mas não entendo, porque >>>ela volta >>>sempre com o corpo, o meu pai está na cadeia há muito tempo, mas >>>imagino >>>sempre a nossa família toda junta em casa, muita comida, muitos >>>brinquedos >>>de natal e eu a estudar na escola para vir a ser um médico um dia. >>> >>> >>> >>>Isto é virtual não é senhor??? >>> >>> >>> >>>Fechei o portátil, mas não fui a tempo de impedir que as lágrimas >>>caíssem >>>sobre o teclado. >>> >>> >>> >>>Esperei que o menino acabasse de literalmente "devorar" o prato >>>dele, >>>paguei, e dei-lhe o troco, que me retribuiu com um dos mais belos >>>e sinceros >>>sorrisos que já recebi na vida e com um "Brigado senhor, você é >>>muito >>>simpático!". >>> >>> >>> >>>Ali, naquele instante, tive a maior prova do virtualismo insensato >>>em que >>>vivemos todos os dias, enquanto a realidade cruel nos rodeia de >>>verdade e >>>fazemos de conta que não percebemos! >>>

publicado por Gina Geadas às 12:43
link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Março de 2007

O Diamante

Por vezes a nossa vida coloca-nos em situacões que pensamos nao ter solução ou retorno, mas há sempre diamantes á espera de ser encontrados em nós ou na nossa vida. E é muito provável que eles estejam mais perto do que se imagina.
Por isso,não gastem a vossa vida numa busca inútil!
Um beijo para todos...

rio diamante.jpg
Havia um homem chamado Ali Hafed, no Irão que era fazendeiro. Ele estava contente com sua situação...a fazenda era excelente e rendosa. Tinha esposa e filhos. Criava carneiros, camelos e plantava trigo.
"Se um homem tem esposa, filhos, camelos, saúde e paz de Deus", dizia ele, é um homem rico!"
Ali Hafed continuou rico até que, certo dia, um sacerdote veio visitá-lo e começou a falar em diamantes. E o sacerdote comentou: "Eles cintilam como um milhão de sóis, na verdade, é a coisa mais linda do mundo."


De repente, Ali Hafed passou a sentir que o que tinha era pouco. E começou a ficar descontente com o que possuía. Perguntou ao sacerdote:
"Onde se podem encontrar esses diamantes? Preciso possuí-los!"
O sacerdote respondeu: "Dizem que é possível achá-los em qualquer parte do mundo. Procurando num riacho de águas transparentes correndo sobre a areia branca, em região montanhosa, e ali acharás diamantes."
Ali Hafed, então tomou uma decisão, vendeu a fazenda, confiou esposa e filhos aos cuidados de um vizinho, e se lançou na sua jornada à procura de diamantes."



Viajou pela Palestina, depois ao longo do vale do Nilo, até que, encontrou-se junto ás colunas de Hércules, entrando a seguir em Espanha.Sem recursos, e sem condições de comunicar-se com a família. Num acesso de desespero, profundamente deprimido, lançou-se ao mar e morreu...

Entretanto, o homem que adquiriu a fazenda de Ali Hafed achou uma curiosa pedra negra, enquanto o seu camelo matava a sede num riacho da propriedade.

Levou a pedra para casa, colocou-a sobre a lareira e esqueceu-se dela.

Um dia apareceu o sacerdote, outra vez. Olhou acidentalmente para a pedra negra e notou um lampejo colorido saindo de um ponto de onde saíra uma lasca. E disse ao fazendeiro:" Um diamante! Onde o encontrou?"
" Encontrei-o nas frias areias do riacho de águas claras onde levo meu camelo para beber", disse o fazendeiro.
Juntos, arrebanhando as túnicas e correndo tão depressa quanto permitiam as sandálias, dispararam rumo ao riacho. Começaram a cavar e acharam mais diamantes!...

Esse achado transformou-se na Mina de Diamantes Golconda - a maior mina do mundo!...

publicado por Gina Geadas às 10:48
link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
Sexta-feira, 29 de Dezembro de 2006

Par de Asas

Quero aproveitar para desejar a todos, umas boas entradas no Ano 2007.
Que este ano tenha tudo de bom quanto desejam...
Espero que (como diz o conto) voem sempre!
Um beijo para todos

anjo de uma so asa.jpg
Há muito tempo atrás, depois do Mundo ser criado e da vida completá-lo, houve num dia, numa tarde de céu azul e calor ameno, um encontro entre Deus e um de seus incontáveis anjos.

Deus estava sentado, calado. Sob a sombra de um pé de jabuticaba. Lentamente sem pecado, Deus erguia as suas mãos e então colhia uma ou outra fruta.

Saboreava a sua criação negra e adocicada. Fechava os olhos e pensava.

Permitia-se um sorriso piedoso. Mantinha o seu olhar complacente. Foi então que das nuvens um de seus muitos arcanjos desceu e veio na sua direcção.

Ele tinha lindas asas brancas imaculadas. Ajoelhou-se aos pés de Deus e disse:

"Senhor, visitei a sua criação como me pediu. Fui a todos os cantos. Estive no Sul e no Norte, No Leste e Oeste. Vi e fiz parte de todas as coisas. Observei cada uma das suas crianças humanas. E por ter visto, vim até ao Senhor para tentar entender. Por que cada pessoa sobre a terra tem apenas uma asa?

Nós anjos temos duas. Podemos ir até ao amor que o senhor representa sempre que desejarmos. Podemos voar para a liberdade sempre que quisermos. Mas os humanos com uma única asa não podem voar. Não podem voar com apenas uma asa."

Deus na brandura dos gestos, respondeu pacientemente ao seu anjo:
"Sim, Eu sei disso. Sei que fiz os humanos com apenas uma asa."

Intrigado, o anjo queria entender e perguntou:

"Mas porque o Senhor deu aos homens apenas uma asa, quando são necessárias duas asas para se poder voar, para se poder ser livre?"

Conhecedor de todas as respostas Deus não teve pressa para falar. Saboreou outra jabuticaba, e então respondeu:

"Eles podem voar sim... Para voar, tu precisas das tuas duas asas e embora livre, estás sempre estará sozinho. Mas os humanos, com apenas uma única asa, precisarão sempre de dar as mãos a alguém para terem as suas duas asas.

Aprenderão a respeitarem-se pois se partirem ou se amachucarem a única asa da outra pessoa, podem estar a acabar com a sua própria oportunidade de voar.

Eles aprenderão a amar verdadeiramente outra pessoa.
Aprenderão que somente permitindo-se amar eles poderão voar. Tocando a mão de outra pessoa, num abraço correcto e afectuoso, num gesto de bondade, eles poderão encontrar a asa que lhes falta e poderão voar através do amor. E nunca estarão sozinhos quando forem voar."

Deus silenciou-se no seu sorriso e o anjo compreendeu o que não precisava ser dito...
publicado por Gina Geadas às 11:43
link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
Terça-feira, 28 de Novembro de 2006

Para-Olimpíadas

Nos ultimos meses tive uma grande lição de vida...
Percebi que as pessoas que marcam a nossa vida são aquelas que se preocupam,
e que de algum modo estão comigo.

Aprendi que a coisa mais importante na vida vai muito além de nos vencermos a nós mesmos, é também ajudar os outros a vencer, ainda que obrigue a abrandar e a mudar a nossa corrida...

Um beijo para todos

PARAOLIMPICAS.jpg

Há alguns anos atrás, nas Para-olimpíadas de Seattle, nove atletas, todos mentalmente ou fisicamente debilitados estavam prontos na linha de partida dos 100 metros.

Ao disparar da pistola, iniciaram a corrida, não todos a correr, mas todos com vontade de chegar e vencer.

Enquanto corriam, um dos concorrentes caiu no asfalto, deu umas cambalhotas e começou a chorar.

Os outros ouviram-no chorar...

Abrandaram, e olharam para trás.

Pararam e voltaram atrás... Todos.

Uma menina com a síndroma de Down sentou-se perto dele e começou a
beijá-lo e disse-lhe:

- Agora estás melhor?

Então abraçaram-se todos e os nove caminharam em direcção à meta.

No estádio todos se levantaram e, aplaudiram durante vários minutos...
publicado por Gina Geadas às 23:23
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Quinta-feira, 16 de Novembro de 2006

Uma marca na tábua

Por vezes uma agressão verbal é tão violenta como uma agressão física, e sem querer num momento de explosão acabamos por deixar marcas, que por vezes são irreparáveis...
Um beijo para todos


tabua.jpg

Era uma vez um rapazinho que tinha um temperamento muito explosivo.
Um dia, o pai deu-lhe um saco cheio de pregos e uma tábua de madeira.
Disse-lhe que martelasse um prego na tábua cada vez que perdesse a
paciência com alguém.
No primeiro dia o rapaz pregou 37 pregos na tábua.
Já nos dias seguintes, enquanto ia aprendendo a controlar a ira, o
número de pregos martelados por dia foi diminuindo gradualmente.
Ele foi descobrindo que dava menos trabalho controlar a ira do que ter que ir
todos os dias pregar vários pregos na tábua...
Finalmente chegou o dia em que não perdeu a paciência uma vez que fosse.
Falou com o pai sobre seu sucesso e sobre como se sentia melhor por não
explodir com os outros.
O pai sugeriu-lhe então que retirasse todos os pregos da tábua e que lha trouxesse.
O rapaz trouxe então a tábua, já sem os pregos, e entregou-a ao pai.
Este disse-lhe:
- Estás de parabéns, filho! Mas repara nos buracos que os pregos deixaram na tábua.
- O que tem?
- Nunca mais ela será como antes...Quando falas enquanto estás com raiva, as tuas palavras deixam marcas como estas...
publicado por Gina Geadas às 23:32
link do post | comentar | ver comentários (18) | favorito
Quinta-feira, 9 de Novembro de 2006

Quero ser um televisor

Quantas vezes nos deparamos com situações que julgamos que só acontecem aos outros, como se nós fossemos ímunes ao mundo em nosso redor.
A educação é provavelmente o maior exemplo disso...

Por vezes queremos tanto dar aos filhos o que não tivemos que acabamos por não lhes dar o que tivemos.</p>Um beijo para todos...</p>
televisao1.gif

A professora Ana Maria pediu aos alunos que fizessem uma redacção e nessa
redacção o que eles gostavam que Deus fizesse por eles.
À noite, ao corrigir as redacções, ela deparou-se com uma que a deixou muito
emocionada.
O marido, ao entrar em casa viu-a a chorar e pergunta: "O que aconteceu?"
Ela respondeu: "Lê".
Era a redacção de um menino.
"Senhor, esta noite peço-te algo especial: transforma-me num televisor.
Quero ocupar o lugar dele. Viver como vive a TV da minha casa.
Ter um lugar especial para mim, e reunir minha família ao meu redor...
Ser levado a sério quando falo... Quero ser o centro das atenções e ser
ouvido sem interrupções e sem perguntas.
Quero receber o mesmo cuidado especial que a TV recebe quando não funciona.
Ter a companhia do meu pai quando chega a casa, mesmo que esteja cansado.
E que minha mãe me procure quando estiver sozinha e aborrecida, em vez de me
ignorar. E ainda que os meus irmãos "discutam" para estar comigo.
Quero sentir que a minha família deixa tudo de lado, de vez em quando, para
passar alguns momentos comigo.
E, por fim, que eu possa divertir todos.
Senhor, não te peço muito...
Só quero viver o que vive qualquer televisor!"

Naquele momento, o marido de Ana Maria disse:
"Meu Deus, coitado desse menino. Que descuido o desses pais".
Ela responde-lhe:

"Essa redacção é do nosso filho".
publicado por Gina Geadas às 21:34
link do post | comentar | ver comentários (17) | favorito
Domingo, 29 de Outubro de 2006

O Colar

A verdadeira doação é dar-se por inteiro, sem restrições.
Gratidão de quem ama não coloca limites para os gestos de ternura.
Seja sempre grato, mas não espere pelo reconhecimento de ninguém.
Gratidão com amor não apenas aquece quem recebe, como reconforta quem oferece.</p>um beijo para todos...


collar.jpg

O homem por detrás do balcão olhava a rua de forma distraída. Uma menina aproximou-se da loja e amassou o narizinho contra o vidro da vitrine. Os olhos da cor do céu, brilhavam quando viu um determinado objecto. Entrou na loja e pediu para ver o colar de turquesa azul.

- É para minha irmã. Pode fazer um embrulho bem bonito? - diz ela.

O dono da loja olhou desconfiado para a menina e perguntou-lhe:
- Quanto dinheiro tens?

Sem hesitar, ela tirou do bolso da saia um lenço todo amarrado e foi desfazendo os nós. Colocou-o sobre o balcão e feliz, disse:
- Isto chega?

Eram apenas algumas moedas que ela exibia orgulhosa.
- Sabe, quero dar este presente para miinha irmã mais velha. Desde que morreu a nossa mãe ela cuida de nós e não tem tempo para ela. É o aniversário dela e tenho certeza que ficaria feliz com o colar que é da cor de seus olhos.

O homem foi para o interior da loja, colocou o colar num estojo, embrulhou com um vistoso papel vermelho e fez um laço bem bonito com uma fita verde.
- Toma! disse para a menina. Leva com cuidado.

Ela saiu feliz saltitando pela rua abaixo. Ainda não acabara o dia quando uma linda jovem de cabelos loiros e maravilhosos olhos azuis entrou na loja. Colocou sobre o balcão o já conhecido embrulho desfeito e indagou:
- Este colar foi comprado aqui?

- Sim senhora.

- E quanto custou?

- Ah! falou o dono da loja. O preço de qualquer produto da minha loja é sempre um assunto confidencial entre o vendedor e o cliente.

A moça continuou:
- Mas a minha irmã só tinha algumas moedas! O colar é verdadeiro, não é? Ela não teria dinheiro para pagá-lo!

O homem tomou o estojo, refez o embrulho com extremo carinho, colocou a fita e devolveu-o á jovem.

- Ela pagou o preço mais alto que qualquer pessoa pode pagar.
ELA DEU TUDO O QUE TINHA.

O silêncio encheu a pequena loja e duas lágrimas rolaram pela face emocionada da jovem enquanto suas mãos tomavam o pequeno embrulho.
publicado por Gina Geadas às 17:54
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Quinta-feira, 12 de Outubro de 2006

empresa

Era manhã de mais um dia de trabalho. Um dia que parecia ser igual a todos os outros dias - isso para quem adora criar monotonias em sua própria vida.

Os funcionários chegaram na empresa do mesmo jeito que chegavam todos os dias, mas já na entrada algo os surpreendeu.

Encontraram um cartaz na portaria dizendo: "faleceu ontem a pessoa que impedia o crescimento da empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes."

No início todos se entristeceram com a morte de alguém, mas, depois de algum tempo, ficaram bastante curiosos em saber quem havia morrido.

Quem estava bloqueando o crescimento da empresa?

A agitação na quadra de esportes era tão grande que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório.

Então, conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava: "quem será que estava atrapalhando o meu progresso?" - diziam uns. "com certeza alguém envolvido em algum desvio de dinheiro!" - diziam outros.

"Ainda bem que este infeliz se foi!" - esbravejavam.

Assim, um a um, os funcionários agitados aproximavam-se do caixão, olhavam o defunto e engoliam em seco.

Ficavam em silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma.

Pois bem, no visor do caixão havia um espelho... E cada um via a si mesmo...

A lição da diretoria da empresa foi clara:

Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: você mesmo!

Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida.

Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida e, você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.

Sua vida não muda quando seu chefe muda, quando sua empresa muda, quando seus pais, filhos, mudam: ela se modifica quando você mesmo muda.

Você é o único responsável por ela, e o único que prestará contas dela

...........................

O ser humano ainda espera demais por soluções e acontecimentos exteriores.

Confundimos fé, esperança, com inatividade e preguiça.

Confundimos pacifismo com passividade.

Confundimos justiça com vingança.

É tempo de acordar e perceber que estamos no comando de nossa própria embarcação, e decidimos através do livre-arbítrio, os rumos de nossa viagem

pelos mares do crescimento, da evolução.

Decidimos se chegaremos logo aos destinos, ou se permaneceremos por muito tempo à deriva.

Decidimos se manteremos o olhar no horizonte, e os ouvidos encantados pelo som do mar, ou se nos deixaremos seduzir pelo canto perigoso das sereias destas distrações do caminho que buscam nos fazer afundar, vestindo-se com trajes belos apenas.

Somos nós que decidimos o momento de perdoar.

Somos nós que decidimos o momento de começar a amar.

O amor não nos escolhe... Nós escolhemos o amor.
publicado por Gina Geadas às 23:31
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Outubro de 2006

A Sabedoria da Borboleta

Tentar viver a vida sem medos, enfrentando todos os obstáculos e mostrar que posso superá-los, esse é o meu dia a dia ...

Por vezes, o esforço é justamente o que precisamos na nossa vida.
Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, Ele acabaria por nos deixar aleijados. E não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido e nunca poderíamos voar.

Um beijo para todos...


borboleta.GIF
</p>Um dia, uma pequena abertura apareceu num casulo;
Um homem sentou-se e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que o seu corpo passasse através daquele pequeno buraco.</p>Então pareceu que ela tinha parado de fazer qualquer progresso.
Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais.</p>O homem decidiu ajudar a borboleta: segurou uma tesoura e cortou o restante do casulo.

A borboleta saiu então facilmente.
Mas o seu corpo estava murcho, era pequeno e tinha as asas amarrotadas.

O homem continuava a observá-la, ele esperava que, a qualquer momento, as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo.</p>Mas nada aconteceu!

Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas.
Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem,na sua gentileza e vontade de ajudar não compreendeu, era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura, era o modo pelo qual o fluído do corpo passava para as suas asas, de forma a ela estar pronta para voar, assim que estivesse livre do casulo.</p>
barra lua.jpg</p>

SMartha1.jpgEu pedi forças...e Deus deu-me dificuldades para fazer-me forte.
Eu pedi sabedoria... e Deus deu-me problemas para resolver.
Eu pedi prosperidade...e Deus deu-me cérebro e músculos para trabalhar.
Eu pedi coragem...e Deus deu-me obstáculos para superar.
Eu pedi amor...e Deus deu-me pessoas com problemas para ajudar.
Eu pedi favores... e Deus deu-me oportunidades.

Eu não recebi nada do que pedi...
mas eu recebi tudo de que precisava."

Obrigada J.
publicado por Gina Geadas às 01:33
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Quarta-feira, 27 de Setembro de 2006

Olá Jesus! É o Zé!

Não importa o tamanho da Oração, e sim a comunhão que por meio dela, temos com Deus!
Um beijo para todos...



jesus chegou.jpg

Ao meio-dia, um pobre velho entrava numa Igreja e, poucos minutos depois, saía.
Um dia, o sacristão perguntou-lhe o que vinha fazer, pois havia objectos de valor na Igreja.
- Venho orar, respondeu o velho.
- Mas é estranho que você consiga orar tão depressa! - disse o sacristão.
- Bem, retrucou o velho, eu não sei recitar aquelas orações compridas.
Mas, diariamente, ao meio-dia eu entro nesta Igreja e só falo:
"Oi, Jesus! É o Zé!"
E em um minuto, já estou de saída.
É só uma oraçãozinha, mas tenho certeza de que Ele me ouve.
Alguns dias depois, o Zé sofreu um acidente e foi internado num hospital. Na enfermaria, passou a exercer uma grande influência sobre todos. Os doentes mais tristes tornaram-se alegres, e muitas pessoas arrasadas passaram a ser ouvidas.
Disse-lhe, um dia, a Irmã:
- Os outros doentes falam que foi você que mudou tudo aqui na enfermaria. Eles dizem
que você está sempre tão alegre...
- É verdade, Irmã, estou sempre alegre. É por causa daquela visita que recebo todos os dias, trazendo-me felicidade.
A Irmã ficou atônita. Já notara que a cadeira encostada na cama do Zé estava sempre vazia. Ele era um velho solitário.
- Que visita? A que horas?
- Diariamente, ao meio-dia - respondeu o Zé, com brilhos nos olhos. Ele vem, fica ao pé da cama. Quando olho para Ele, sorri e diz:
"Olá Zé! É o Jesus"
publicado por Gina Geadas às 18:18
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Sexta-feira, 15 de Setembro de 2006

A Balança

"Através dos anos aquele pequeno incidente de pesagem tem exercido importante influência sobre meus julgamentos. Antes de criticar uma pessoa, lembro-me daquela balança e comparo seus pontos bons com os maus. E, felizmente, quase sempre há uma vantagem compensadora, o que fortalece em muito a minha confiança no gênero humano."</p> Um beijo para todos...</p>

balanca.jpg

Um menino andava sempre á briga com os seus companheiros de brinquadeira. E voltava para casa lamuriando e queixando-se deles. Isto ocorria, as mais das vezes, com Beto, o seu melhor amigo.

Um dia, correu para casa e procurou a mãe para queixar-se do Beto ela ouviu-o e disse-lhe o seguinte:

- Vai buscar uma balança e os blocos.

- Mas, o que tem isso a ver com Beto?

- Já vais ver... Vamos fazer uma brincadeira.

- Obedeceu e trouxe a balança e os blocos. Então ela disse:

- Primeiro vamos colocar neste prato da balança um bloco para representar cada defeito do Beto. Conta-me quais são.

- Foi relacionando-os e um certo número de blocos foram empilhados daquele lado.

- Não tens nada mais a dizer? O menino não tinha e ela propôs:

- Então vais, agora enumerar as qualidades dele. Cada uma delas será um bloco no outro prato da balança.

O menino hesitou, porém a mãe animou-o dizendo:

- Ele não te deixa andar na sua bicicleta? Não divide um doce contigo?

O menino concordou e passou a mencionar o que havia de bom no caracter do seu amiguinho. Ela foi colocando os blocos do outro lado. De repente ele percebeu que a balança oscilava. Mas vieram outros e outros blocos em favor do Beto.

O menino deu uma gargalhada e mãe observou:

- Tu gostas do Beto e ficaste alegre por verificar que as suas boas qualidades ultrapassam os seus defeitos. Isso sempre acontece, conforme tu mesmo vais verificar ao longo da tua vida...
publicado por Gina Geadas às 09:18
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Terça-feira, 29 de Agosto de 2006

Valor da Amizade

Faz hoje 1 Ano que comecei este blog.</p>Apenas tenho a dizer....OBRIGADA...</p>
Obrigada, pelo carinho e pelos comentários, e para quem não comentou, obrigada pela visita...</p>
A todos vocês agradeço a vossa Amizade e dedico-vos o próximo texto.</p>Um beijo para todos...
</p>


amizade3.jpg





Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos. Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta necessidade que tenho deles.
A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor, eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!

Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus amigos e o quanto minha vida depende de suas existências...

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.

Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.

Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro, embora não declare e não os procure.

E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente, construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado. Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.

E me envergonho, porque essa minha prece é, em síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles. Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos, cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando daquele prazer...

Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber que são meus amigos!

A gente não faz amigos, reconhece-os.



Vinícius de Moraes
publicado por Gina Geadas às 00:13
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quinta-feira, 17 de Agosto de 2006

As Três Peneiras

peneira.jpg




Olavo foi transferido de projecto.
Logo no primeiro dia, para fazer vista com o novo chefe, saiu-se com esta:

- Chefe o senhor nem imagina o que me contaram a respeito do Silva.
Disseram que ele....

Nem chegou a terminar a frase, Juliano, o chefe, aparteou:

- Espere um pouco Olavo, o que vai me contar já passou pelo crivo das tres peneiras ?

- Peneiras ? Que peneiras, chefe ?

- A primeira Olavo, é a da VERDADE. Voce tem certeza que este facto é absolutamente
verdadeiro ?

- Não, não tenho não. Como posso saber ? O que sei foi o que me contaram... Mas eu acho que...

E, novamente Olavo é interrompido pelo chefe.

- Então sua história já vazou a primeira peneira. Vamos então para a segunda peneira que é a da BONDADE. O que voce vai me contar, gostaria que os outros também dissessem a seu respeito ?

- Claro que não! Deus me livre, chefe!! - diz Olavo assustado.

- Então - continua o chefe - sua história vazou a segunda peneira. Vamos ver a terceira
que é a da NECESSIDADE. Voce acha mesmo necessário me contar esse fato ou passá-lo adiante ?

- Não chefe. Passando pelo crivo destas peneiras, vi que NÃO SOBROU NADA do que eu iria contar falou Olavo surpreendido....

- Pois é, Olavo. Já pensou como as pessoas seriam mais felizes se todos usassem essas peneiras ? - diz o chefe sorrindo e continua:

- Da próxima vez em que surgir um boato por aí, submeta-se ao crivo dessas três Peneiras: Verdade - Bondade - Necessidade, antes de obedecer ao impulso de passa-lo adiante, porque:

PESSOAS INTELIGENTES FALAM SOBRE IDÉIAS
PESSOAS COMUNS FALAM SOBRE COISAS
PESSOAS MEDÍOCRES FALAM SOBRE PESSOAS....
publicado por Gina Geadas às 09:46
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 3 de Julho de 2006

Quem é seu amigo?

"Amigo é aquele que chega quando todos já se foram..."</p> Um beijo para todos</p>




soldado.jpg</p>

Certa vez um soldado disse ao seu tenente:
- O meu amigo não voltou do campo de batalha, Senhor, solicito permissão para ir buscá-lo.

- Permissão negada, replicou o oficial. Não quero que arrisque a sua vida por um homem que provavelmente está morto.

O soldado, ignorando a proibição, saiu, e uma hora mais tarde regressou, mortalmente ferido,transportando o cadáver de seu amigo.

O Oficial estava furioso:

- Já tinha dito que ele estava morto!!! Agora eu perdi dois homens! Diga-me, valeu a pena trazer um cadáver?

E o soldado, moribundo, respondeu:

- Claro que sim, senhor! Quando o encontrei, ele ainda estava vivo e pôde dizer-me: "Tinha a certeza que virias!
publicado por Gina Geadas às 18:20
link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito
Domingo, 14 de Maio de 2006

Educação Mal Vestida

Quantas vezes fui julgada pela minha condição fisica ou até mesmo pela forma como estava vestida...</p>A todos os que me julgaram digo-vos... que um dos mais belos trajes da alma é a educação...</p> Um beijo para todos</p>

mulher de luxo.jpg</p>

Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e, de forma ríspida, pergunta: </p>- Vocês sabem onde está o médico do hospital?</p>
Com tranquilidade o médico respondeu:
-Boa tarde senhora! Em que posso ser útil?!</p>Ríspida, redarguiu:
- Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou a procurar o médico?</p>Mantendo-se calmo, contestou:
- Boa tarde senhora! O médico sou eu, em que posso ajudá-la?!</p>- Como?! O senhor?! Com essa roupa?!...
- Ah! Senhora! Desculpe-me! pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta...</p>- Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que...vestido assim, o senhor nem parece um médico...</p>- Veja bem como as coisas são... - disse o médico - as vestes parecem não dizer muita coisa, pois quando a vi chegar, tão bem vestida, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria uma "boa tarde!"
Como se vê, as roupas nem sempre dizem muito...
publicado por Gina Geadas às 18:33
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Sábado, 15 de Abril de 2006

Farmácia

Um milagre não é a suspensão de uma lei natural, mas sim o resultado de uma lei maior...</p> Um beijo para todos

farmacia.jpg

Teresa era uma menina precoce de 8 anos, quando ouviu o seu Pai e a sua Mãe a conversar sobre o seu irmãozinho, André. Tudo que ela sabia, era que ele estava doente e que eles não tinham dinheiro. Mudariam-se para um apartamento num bairro mais debilitado no próximo mês, porque o Pai não tinha recursos para pagar as contas do médico e a renda do apartamento.

Somente uma intervenção cirúrgica muito cara poderia salvá-lo agora, e parecia que não havia ninguém que pudesse emprestar-lhes o dinheiro. Ela ouviu seu pai dizer:</br>
- Somente um milagre poderá salvá-lo agora...</p>
Teresa foi ao seu quarto e puxou um frasquinho de vidro do seu esconderijo do armário.

Despejou todo o dinheiro que tinha no chão e contou-o cuidadosamente. Três vezes. O total tinha que estar exacto. Não havia margem de erro.
Colocando as moedas de volta no vidro com cuidado e fechando a tampa, ela saiu devagarinho pela porta traseira e andou 5 quarteirões até a Farmácia local.</p> Esperou pacientemente que o farmacêutico a visse e desse atenção, mas ele estava muito ocupado no momento. Teresa esfregou os pés no chão para fazer barulho. Nada! Ela limpou a garganta com o som mais terrível que ela conseguiu fazer. Nem assim! Por fim, ela bateu no vidro da porta. Finalmente! </p>

-O que queres? - perguntou o farmacêutico com voz aborrecida..

-Não vês que estou a conversar com o meu irmão que chegou de Chicago e que não vejo há séculos!! - disse ele sem esperar resposta pela sua pergunta. </p>- Bem, eu quero falar-lhe sobre meu irmão.. - Teresa respondeu no mesmo tom aborrecido. </p>- Ele está realmente doente... e eu quero comprar um milagre.</p>- Como?- balbuciou o farmacêutico atônito.</p>- Ele chama-se André e está com alguma coisa muito má a crescer dentro da cabeça e o meu Pai diz que só um milagre poderá salvá-lo.Por isso... quanto custa um milagre? </p>- Não vendemos milagres aqui, rapariga. Desculpa mas não posso ajudar-te - respondeu o farmacêutico, com um tom mais suave. </p>- Oiça, eu tenho o dinheiro para pagar. Se não for suficiente, conseguirei o resto. Por favor, diga-me quanto custa.</p> O irmão do farmacêutico era um homem bem vestido. Ele deu um passo à frente e perguntou à menina:</p>- Que tipo de milagre o teu irmão precisa?</p>- Não sei... - respondeu Teresa, levantando os olhos para ele. - Só sei que ele está muito mal e a minha Mãe diz que ele precisa ser operado. Mas o meu Pai não pode pagar, então quero usar meu dinheiro.</p>- E quanto dinheiro tens? - perguntou o homem de Chicago. </p>- Um Euro e 11 cêntimos. - Teresa respondeu quase num sussurro.- E é tudo que tenho, mas posso conseguir mais se for preciso!</p>- Bolas! Que coincidência! -sorriu o homem </p>- Um Euro e 11 cêntimos - exatamente o preço de um milagre para irmãozinhos.</p>Ele segurou o dinheiro com uma mão e dando a outra mão à menina, disse:</p>- Leva-me até aonde moras. Quero ver o teu irmão e conhecer os teus pais. Quero ver se tenho o tipo de milagre de que precisas </p>
Esse senhor bem vestido era um cirurgião, especializado em neuro-cirurgia. A operação foi feita com sucesso e sem custo algum, e meses depois André estava em casa novamente, recuperado. Os Pais comentavam alegremente sobre a seqüência de acontecimentos ocorridos.</p>
- A cirurgia foi um milagre real. Gostaria de saber quanto deve ter custado? - Sussurrou a Mãe
Teresa sorriu...</p>

Ela sabia exactamente quanto custa um milagre... um Euro e onze cêntimos... mais a fé de uma menina...
publicado por Gina Geadas às 13:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 19 de Março de 2006

19 de Março - Dia do Pai

Entre Pai e filho, não há maior abismo do que o silêncio.</p>Ser Pai é a arte de educar os filhos sem os humilhar...</p>Um beijo para todos..

velho-de-bengala.jpg


Amado Filho</p>
Espero que o dia em que este velho não seja mais o mesmo, tenhas paciência e me compreendas.
E quando deixar cair comida sobre a minha camisa e esquecer como se faz o laço no atacador do meu sapato, tenhas paciência comigo e lembra-te das horas que passei ensinando-te essas mesmas coisas.
Se quando conversares comigo eu repetir as mesmas histórias, não me interrompas e escuta-me.Quando eras pequeno, para que dormisses, tive de contar milhares de vezes as mesmas historias até tu fechares os teus olhinhos.
Quando estivermos reunido e sem querer fizer as minhas necessidades, não fiques com vergonha.Espero que compreendas que não tenho culpa disso, pois já não as posso controlar. Pensa quantas vezes pacientemente, troquei as tuas roupas para que tivesses sempre limpo e cheiroso.
Lembra-te que fui eu quem te ensinou tanta coisa...Comer , vestir e como enfrentar a vida tão bem como hoje o fazes. Isso é o resultado do meu esforço e da minha perseverança.
Se em algum momento quando conversarmos eu esquecer-me do que estavamos a falar, tem paciência comigo e ajuda-me a lembrar.Talvez a unica coisa importante para mim naquele momento, seja o facto de te ver perto de mim e dando-me atenção e não o que falávamos.
Se alguma vez eu não quiser comer,espero que saibas insistir com carinho assim como fiz contigo.
Espero que compreendas que com o tempo não terei dentes fortes nem agilidade para engolir.
E quando as minhas pernas falharem por estarem tão cansadas e eu não conseguir mais equilibrar-me...Com ternura dás-me a tua mão para me apoiar, como eu o fiz quando começas-te a caminhar com as tuas perninhas tão frageis.
Se algum dia me ouvires dizer que não quero mais viver, não te aborreças comigo.Algum dia entenderás que isto não tem a ver com o teu carinho ou com quanto te amo.
Espero que compreendas que é dificill ver a vida abandonando aos poucos o meu corpo, e que é duro admitir que já não tenho o mesmo vigor para correr ao teu lado.
Sempre quis o melhor para ti, e sempre me esforcei para que o teu mundo fosse sempre mais confortavel, mais belo, mais florido.
E até quando eu me for,construirei para ti outra rota em outro tempo mas estarei sempre contigo e zelando por ti.
Não te sintas triste ou impotente por me veres assim.
Não me olhes com cara de dó.Dá-me apenas o teu coração.Compreende-me e apoia-me, como eu fiz quando começaste a viver. Isso me dará forças e muita coragem.
Da mesma maneira que te acompanhei no inicio da tua jornada, peço-te que me acompanhes para terminar a minha.
Trata-me com amor e paciência, e eu te devolverei sorrisos e gratidão, com imenso amor que sempre tive por ti ...</p>


Atenciosamente

do teu Velho
publicado por Gina Geadas às 17:39
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Segunda-feira, 6 de Março de 2006

8 de Março - Dia da Mulher

"Somos mulheres das palavras que não pronunciamos, mas somos escravas das que nos escapam!"</p> Um beijo para todos </p>menina mulher.jpg





Num Bairro de lata um camião descarregou duzentos tijolos de oito furos na rua,junto à casa do comprador.

O dono da casa aliciava alguns meninos para ajudar a carregar os tijolos até o local da obra, quando foi procurado por três meninas.
Uma de onze anos, outra de nove e a mais pequenina de seis anos apenas.

Elas queriam carregar os tijolos, pois assim ganhavam algum dinheiro para matar a fome naquele dia frio.</p>Relutante em aceitar o trabalho das meninas, o proprietário perguntou-lhes porque queriam elas carregar os tijolos.</p>A mais velhinha respondeu firmemente:
- Se os meninos podem fazer, nós também podemos.Nós somos iguais e um tijolo não é assim tão pesado.</p>

O dono não resistiu ao argumento. </p>

Durante um dia inteiro, a mais velha com quatro deles de cada vez, a do meio com três e a menor com um apenas.</p>

Houve curiosidade...</p>

Os meninos ficaram por perto,alguns arriscaram-se a fazer piadinhas sobre elas,mas as meninas mantiveram-se firmes no seu trabalho, finjindo não ouvir as provocações, fossem elas de quem fossem.</p>

No fim da tarde, com o trabalho terminado a mais velha recebeu o pagamento e a agarrando as mãozinhas das suas irmãs disse:</p>

- Foi muito dificil e os tijolos eram pesados, mas conseguimos provar que uma mulher também é gente.
publicado por Gina Geadas às 17:53
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2006

A Vista da Janela

Por vezes achamos que a nossa vida não corre como desejamos e culpamos o destino...( Vá-se lá saber porquê! )
Esquecemo-nos que a vida é tudo aquilo que nós fazemos dela.</p>Podemos escollher o que semear, mas somos obrigados a colher o que plantamos....</p>Porque a vida é, sempre foi, e sempre será aquilo que nós a tornamos...</p> Um beijo para todos</p>

vista da janela.jpg</p>Certa vez, dois homens estavam seriamente doentes na mesma enfermaria de um grande hospital. </p>O quarto era bastante pequeno e havia uma janela que dava para o Mundo.
Um dos homens tinha, como parte do seu tratamento, autorização para sentar-se na cama por uma hora durante as tardes (algo que tinha a ver com a drenagem de fluido dos seus pulmões).

A sua cama ficava perto da janela. O outro, contudo, tinha de passar o seu tempo deitado de barriga para cima.

Todas as tardes, quando o homem cuja cama ficava perto da janela era colocado em posição sentada, ele passava o tempo a descrever o que via lá fora.

A janela aparentemente dava para um parque onde havia um lago. Havia patos e cisnes no lago, e as crianças iam atirar-lhes pão e colocar na água barcos de brinquedo. Jovens namorados caminhavam de mãos dadas entre as arvores, e haviam flores, relva e jogos de futebol.
E ao fundo, por trás de uma fileira de árvores, avistava-se o belo contorno dos prédios da cidade.

O homem deitado ouvia o sentado descrever tudo isto, apreciando todos os minutos. Ouviu sobre como uma criança que quase caiu no lago e como as miudas estavam bonitas nos seus vestidos de Verão.

As descrições do seu amigo eventualmente fizeram-no sentir que quase podia ver o que estava a acontecer lá fora.

Numa bela tarde, ocorreu-lhe um pensamento:
"Por é que o homem que ficava perto da janela deveria ter todo o prazer de ver o que estava a acontecer?"
"Porque é que ele não podia ter esta oportunidade? "

Sentiu-se envergonhado, mas quanto mais tentava não pensar assim, mais queria uma mudança.
Faria qualquer coisa!

Numa noite, enquanto olhava para o tecto, o outro homem subitamente acordou tossindo e sufocado,as suas mãos procuravam o botão que faria a enfermeira vir a correr.
Mas ele observou sem se mexer, até mesmo quando o som de respiração parou.

De manhã, a enfermeira encontrou o outro homem morto e silenciosamente, levou o seu corpo.

Logo que pareceu apropriado, o homem perguntou se poderia ser colocado na cama perto da janela.
Colocaram-no lá, aconchegaram-no sob os cobertores e fizeram com que se sentisse bastante confortável.

No minuto em que saíram, ele apoiou-se sobre o cotovelo, com dificuldade e sentindo muita dor, olhou para fora da janela e...

Viu apenas um muro...
publicado por Gina Geadas às 18:16
link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2006

O Julgamento

Quantas vezes digo a mim mesma que por mais difícil que seja uma situação, não posso deixar de acreditar até o último momento... e que para qualquer problema há sempre uma saída.</p>Por isso... não desistam, não se deixem derrotar. </p>
Persistam, vão sempre em frente apesar de tudo e de todos, creiam que podem conseguir!!</p>Se voces acreditarem nisso,conseguirão superar as vossas limitações... </p> Um beijo para todos
</p>


julgamento.jpg</p>
Conta uma antiga lenda que na Idade Média um homem muito religioso foi injustamente acusado de ter assassinado uma mulher.

Na verdade, o autor era pessoa influente do reino e por isso, desde o primeiro momento procurou-se um "bode expiatório" para acobertar o verdadeiro assassino.

O homem foi levado a julgamento. Ele sabia que tudo iria ser feito para condená-lo e que teria poucas possibilidades de sair vivo do julgamento, temendo o resultado
- A FORCA.

O juiz, que também estava combinado para levar o pobre homem à morte, simulou um julgamento injusto, fazendo uma proposta ao acusado que provasse a sua inocência.

Disse o juiz:
"Sou de uma profunda religiosidade e por isso vou deixar a tua sorte nas mãos de Deus: vou escrever num pequeno papel a palavra INOCENTE e no outro papel a palavra CULPADO. Sortearás um dos papéis, e aquele que sair, será o veredicto e assim Deus decidirá o teu destino."

Sem que o acusado percebesse, o juiz preparou os dois papéis, mas em ambos escreveu CULPADO de maneira que, naquele instante, não existia qualquer possibilidade do acusado se livrar da forca.

Não havia saída. Não havia alternativas para o pobre homem.

O juiz colocou os dois papéis numa mesa e mandou o acusado escolher um.

O homem pensou alguns segundos e, pressentindo a "vibração", aproximou-se confiante da mesa, pegou num dos papéis e rapidamente colocou-o na boca e engoliu-o.

Os presentes no julgamento reagiram surpresos e indignados com a actitude do homem.

-"Mas o que fizeste? E agora? Como vamos saber qual é o teu veredicto?"

- "É muito fácil" - respondeu o homem.

- "Basta olhar o outro papel que sobrou e saberemos que acabei de engolir o contrário."

Imediatamente o homem foi libertado...
publicado por Gina Geadas às 12:50
link do post | comentar | ver comentários (12) | favorito
Sexta-feira, 27 de Janeiro de 2006

O Alpinista

Quantos de nós já propusemos desafios que parecem inalcançáveis?</p>Desafios em que tens de te vencer a ti próprio e mostrar sinal de maturidade aceitando muitas vezes o desafio do sofrimento.</p>Porque existe sempre algo que luta contra nós, como que alguém tivesse a puxar a corda aonde nos agarramos, fortalecendo os nossos nervos e aprimorando as nossas qualidades, tentando dominar-nos a nós mesmos.</p>Mas acredito que o verdadeiro heroismo consiste em persistir por mais um momento mesmo quando a corda nos escapa entre os dedos e tudo parece perdido.</p> E tu? Continuas a segurar a corda? </p>Um beijo para todos</p>

alpinista.jpg

Esta é a história de um alpinista que sempre procurava superar mais e mais desafios.
Ele resolveu, depois de muitos anos de preparação, escalar o Aconcágua.

Ele queria a glória apenas para si.

Resolveu então escalar sozinho sem nenhum companheiro, o que seria natural no caso de uma escalada dessa dificuldade.

Ele começou a subir e o dia começou a escurecer e a ficar cada vez mais tarde.

Porém ele não se tinha preparado para acampar e resolveu seguir a escalada, decidido a atingir o topo.

Escureceu... e a noite caiu como um breu nas alturas da montanha.</p>Era impossível conseguir ver um palmo à frente do nariz... não se via absolutamente nada.

Tudo era escuridão, zero de visibilidade, não havia Lua e as estrelas estavam cobertas pelas nuvens.

Subindo por uma "parede" e apenas a 100 metros do topo, ele escorregou e caiu...

Caía a uma velocidade vertiginosa, só conseguia ver as manchas que passavam cada vez mais rápidas na escuridão.

Ao cair sentia apenas uma terrível sensação de estar a ser sugado pela força da gravidade e nesses angustiantes momentos, passaram pela sua cabeça todos os momentos felizes e tristes que ele já tinha vivido.

De repente, sentiu um puxão forte que quase o partiu pela metade.

Como todo alpinista experimentado, tinha cravado estacas de segurança com grampos a uma corda comprida que tinha fixado na sua cintura.

Nesses momentos de silêncio, suspenso pelos ares na completa escuridão, o desespero fá-lo gritar:

- Oh, meu Deus! Ajuda-me! Por Favor!

Uma voz grave e profunda respondeu:

- O que queres de Mim, meu filho?

- Salva-me, meu Deus, por favor!

- Realmente acreditas que Eu te possa salvar?

- Eu tenho certeza, meu Deus.

- Então corta a corda que mantém pendurado...

Houve um momento de silêncio e reflexão.

O alpinista agarrou-se mais ainda a corda e pensou que se largasse a corda morreria...</p>

A equipa de salvamento no dia seguinte encontrou um alpinista congelado, morto, agarrado com as duas mãos a uma corda ... </p>

...a não mais de dois metros do chão.
publicado por Gina Geadas às 18:23
link do post | comentar | ver comentários (20) | favorito
Quinta-feira, 12 de Janeiro de 2006

O Cego e o Publicitário

Esta é a minha primeira mensagem deste novo ano que começa...</p>Aproveito para a todos desejar um Bom Ano de 2006 e que tudo na vossa vida se realize mas... se não se realizar, não desistam! Mudem apenas de estratégia porque é sempre bom mudarmos de estratégia quando nada acontece...</p>Um beijo para todos


elMendigo.jpg</p>
Havia um cego sentado numa calçada de Lisboa, com um boné a seus pés e um pedaço de madeira escrito com giz branco:</p> " Por favor,ajude-me... sou cego!"</p>Um publicitário,da área da criação, que passava em frente a ele parou e viu muito poucas moedas no boné.Sem pedir licença, agarrou no cartaz e virou-o, pegou no giz e escreveu outro anúncio.Voltou a colocar o pedaço de madeira aos pés do cego e foi embora.</p>Ao cair da tarde o publicitário voltou a passar em frente ao cego que pedia esmola. O seu boné agora estava cheio de notas e moedas.</p>O cego reconheceu as pisadas do publicitário e perguntou-lhe se havia sido ele quem reescrevera o cartaz, e sobretudo querendo saber o que ele havia escrito.</p>O publicitario respondeu:</p>- Nada que nao esteja de acordo com o seu anúncio, mas com outras palavras.</p> E sorrindo continuou o seu caminho.</p>O cego nunca soube o que estava escrito. Mas o seu novo cartaz dizia:</p> " Hoje é Primavera em Lisboa e eu não posso vê-la. "
publicado por Gina Geadas às 00:23
link do post | comentar | ver comentários (29) | favorito
Sábado, 31 de Dezembro de 2005

A Águia e o Falcão

Libertar a pessoa que se ama para que ela possa voar com as próprias asas...
Esta é uma verdade num relacionamento a dois e também nas relações familiares, de amizade e até profissionais.</p>A principal lição é saber que somente as pessoas livres serão capazes de amar-te como queres e mereces.</p>Deixa-las voar em direcção às realizações das suas vidas, respeitando sempre as suas vontades e o direito de voarem rumo ao sonho delas...</p> Um beijo para todos
</p>

indios.jpg</p>Conta uma lenda dos índios Sioux que, certa vez o Touro Bravo e Nuvem Azul chegaram de mãos dadas à tenda do velho feiticeiro da tribo e pediram:</p> - Nós amamos-nos e vamos casar-nos. Mas amamos-nos tanto que queremos um conselho que nos garanta ficar sempre juntos, que nos dê a certeza que estaremos um ao lado do outro até a morte.
- Há algo que possamos fazer? </p>O velho, emocionado ao vê-los tão jovens, tão apaixonados e tão ansiosos por uma palavra, disse: </br>-Há uma coisa a fazer, mas é uma tarefa muito difícil e sacrificada.
- Tu Nuvem Azul, deves escalar o monte ao norte da aldeia e apenas com uma rede, caçar o falcão mais vigoroso e trazê-lo aqui, com vida, até o terceiro dia depois da lua cheia.
- E tu Touro Bravo, deves escalar a montanha do trono e lá em cima, encontrarás a mais brava de todas as águias. Somente com uma rede deverás apanhá-la, trazendo-a para mim viva! </p> Os jovens abraçaram-se com ternura e logo partiram para cumprir a missão. </p>No dia estabelecido, na frente da tenda do feiticeiro, os dois esperavam com as aves. O velho tirou-as dos sacos e constatou que eram verdadeiramente formosos exemplares dos animais que ele tinha pedido. </p>- E agora, o que fazemos? - Perguntaram os jovens.
- Peguem as aves e amarrem uma à outra pelos pés com essas fitas de couro.
Quando estiverem amarradas, soltem-nas para que voem livres.
Eles fizeram o que lhes foi ordenado e soltaram os pássaros. A águia e o falcão tentaram voar, mas conseguiram apenas saltar pelo terreno.</p>Minutos depois, irritadas pela impossibilidade do vôo, as aves arremessaram-se uma contra a outra, bicando-se até se magoarem. </p>Então o velho disse:
- Jamais esqueçam o que estão a ver, esse é o meu conselho. Vocês são como a águia e o falcão. Se estiverem amarrados um ao outro, ainda que por amor, não só viverão arrastando-se como também, mais cedo ou tarde, começarão a magoar-se um ao outro.
Se quiserem que o amor entre vocês perdure, voem juntos, mas jamais amarrados...</p>
publicado por Gina Geadas às 00:10
link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005

O que fazer...?

Aproveitando a época Natalicia gostaria de vos alertar para algo que para mim, é no minimo curioso...</p>É curioso, o simples que é para as pessoas dizerem mal de Deus e que não entendem como o mundo vai de mal a pior.</p> Mais curioso ainda, é ver como se pode estar tão crente em Deus ao domingo, e ser um cristão invisível no resto da semana.</p>É curioso como acreditamos em tudo aquilo que lemos nos jornais, mas questionamos as palavras de Deus.</p> É curioso, como todos querem ir para o Céu, mas nada fazem para merecê-lo.</p> É curioso como as pessoas dizem:</br>- "Eu creio em Deus!" - mas, com as suas acções, mostram totalmente o contrário. </p> Desafio-vos a imaginarem-se na situação abaixo descrita, e depois digam-me...o que fariam?...</p>Um beijo para todos com votos de um
Feliz Natal
</p>

crucify.jpg</p>É uma típica tarde de sexta-feira e conduzes em direcção à tua casa.</p> Sintonizas o rádio. O noticiário fala de coisas de pouca importância... Numa cidade distante morreram três pessoas com uma gripe até então totalmente desconhecida.
Não prestas muita atenção ao tal acontecimento.</p>
No dia seguinte, já não são três, mas 30 mil as pessoas mortas pela tal gripe nas colinas remotas da Índia.</br>No outro dia, já a noticia é mais importante, ocupando a primeira página de todos os jornais, porque já não é só na Índia, mas também no Paquistão, Irão e Afeganistão. Enfim, a notícia espalha-se pelo mundo. Chamam-lhe a doença de "La Influenza Misteriosa" e todos se perguntam:</br> -Que faremos para controlá-la?</br> Então, uma notícia surpreende a todos:
Europa fecha as suas fronteiras começando o pânico!</p>Estás ligado em todos os meios de comunicação, para te manteres informado da situação. As informações dizem que, quando se contrai o vírus, é questão de uma semana e nem se percebe, tendo quatro dias de sintomas horríveis levando á morte em questão de horas.Parece que a coisa invadiu o mundo inteiro.</p> De repente, vem a notícia esperada:
Conseguiram decifrar o código de ADN do vírus!</p> É possível fabricar o antídoto! É preciso, para isso, conseguir sangue de alguém que não tenha sido infectado pelo vírus.</p> Corre por todo o mundo a notícia de que as pessoas devem ir aos hospitais fazer a análise ao seu sangue e doá-lo para o fabrico do antídoto.</p>Tu vais voluntariamente com toda tua família e alguns vizinhos, questionando-te: "Será este o final do mundo?"</p> Depois de horas num hospital improvisado um médico sai a gritar um nome que leu no seu caderno.</p>O teu filho mais pequeno, agarra-se ao teu casaco e diz:
- Pai? Esse é o meu nome!</p> E antes que possas dizer algo, levam-te o menino dizendo-te:
- Está tudo bem! O sangue dele está limpo, é sangue puro. Achamos que ele tem o sangue de que precisamos para o antídoto.Vamos só fazer uma nova analise para confirmação.</p> Depois de cinco longos minutos, o médico aproxima-se de ti:
- Obrigado senhor! O sangue de seu filho é perfeito, está limpo e puro. O antídoto finalmente poderá ser fabricado!</p> As pessoas que ali estão, choram de alegria, agradecem as suas preces terem sidos ouvidas ou apenas riem de felicidade.</p> Nisto, o médico aproxima-se de ti e da tua esposa e diz:
- Podemos falar um momento?... Não sabíamos que o doador seria uma criança e precisamos que o senhor assine uma autorização para usarmos o sangue do seu filho.</p> Quando estás a ler, percebes que não colocaram a quantidade de sangue que vão usar e perguntas:</p> - Qual a quantidade de sangue que vão usar? </p>O sorriso do médico desaparece e responde:
- Bem...não pensávamos que fosse uma criança...Não estávamos preparados...Vamos precisar de todo o sangue do seu filho.</p> Não podes acreditar no que ouves e...tratas de contestar:</br>- Mas...</p> O médico insiste:
- O Senhor não compreende?? Estamos a falar da cura para o Mundo inteiro!! Por favor, assine! Nós precisamos de todo o sangue.</p> Tu, então, perguntas:
- Mas não podem fazer-lhe uma transfusão?</p> E vem a resposta:
- Se tivéssemos sangue puro, poderíamos... mas assim, não... Assine! Por favor, assine!</p> Em silêncio, e sem sentir a caneta na mão, tu assinas.</p>Pedes para ver o teu filho uma ultima vez. Caminhas na direcção da sala de emergência onde se encontra a
criança sentada na cama dizendo:
- Pai?! Mãe?! O que está acontecer? </p> - Filho, a tua mãe e eu amamos-te muito e jamais permitiríamos que te acontecesse algo que não fosse necessário, entendes?</p>
O médico regressa:
- Sinto muito senhor, precisamos de começar. O Mundo inteiro está a morrer.</p> E, na semana seguinte, quando fazem uma cerimónia para honrar o teu filho, algumas pessoas ficam em casa a dormir, outras não vêm, porque preferem fazer um passeio ou assistir a um jogo de futebol na TV e outras vêm com um sorriso falso. Tens vontade de parar e gritar:
- O MEU FILHO MORREU POR VOCÊS!!!
NÃO SE IMPORTAM COM ISSO????</p>

Talvez seja isso que DEUS quer dizer:
- O MEU FILHO MORREU POR VOCÊS!!!
publicado por Gina Geadas às 23:35
link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito
Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2005

Amigo não tem defeito...

Noutro dia... recebi uma mensagem especial, de uma amiga não menos especial...</p> E com este texto, relembrou-me que por vezes não importa como somos...</p>Que o importante é ter alguém que nos aceite e aprecie pelo que somos verdadeiramente, com todos os defeitos inerentes de um ser humano</p> E que mesmo assim com defeitos, nos ame incondicionalmente...
Um beijo para todos
</p>



cao e menino.gif</p>O dono de uma loja de animais estava a colocar um anúncio na porta.
" Cachorrinhos á Venda!"</p>Este tipo de anúncio sempre atrai as crianças, e logo um menino apareceu na loja perguntando:</p>- Qual é o preço dos cachorrinhos?</p>O dono da loja prontamente respondeu:
- Entre 30€ e 50€ </p>O menino meteu a mão ao bolso e tirou umas moedas
- Só tenho €2,37.Posso vê-los?</p>O homem sorriu e assobiando indicou ao menino onde estavam os cachorrinhos.</p>Por detrás da loja saiu a cadelinha correndo, seguida pelos cinco filhotes.
Um dos cachorrinhos estava a ficar para trás.
O menino imediatamente apontou para o cachorrinho que estava a coxear.</p>- O que aconteceu com este cachorrinho?</p>O homem explicou-lhe que quando o cachorrinho nasceu, o veterinário disse-lhe que tinha uma patinha defeituosa e que coxearia para sempre.</p>O menino emocionou-se e exclamou:
- É esse o cãozinho que eu quero comprar!</p>Ao que o homem respondeu muito convicto:
- Não, tu não vais comprar esse cachorrinho...Se realmente o queres, então eu ofereço-te como presente.</p>O menino não gostou, e fitando os olhos do homem disse-lhe:
- Eu não quero que o senhor me ofereça! Ele vale tanto como os outros, e eu vou pagar o preço completo.
Agora vou dar-lhe os meus €2,37 e em cada mês darei o que puder até que o tenha pago por completo.</p>O homem respondeu:
- Não queres mesmo comprar esse cachorrinho, pois não? Ele nunca será capaz de correr, saltar e brincar como os outros.</p>O menino baixou-se e levantou a calça para mostrar a sua perna esquerda cruelmente retorcida e inutilizada com um grande aparelho de metal.</p> Olhou de novo para o homem e disse-lhe:
- Bom, eu também não posso correr muito bem, e o cachorrinho vai precisar de alguém que o entenda.</p>O homem ficou envergonhado e os seus olhos encheram-se de lágrimas, que sorrindo disse:
- Meu rapaz, só espero que cada um destes cachorrinhos tenha um dono como tu...
publicado por Gina Geadas às 22:07
link do post | comentar | ver comentários (26) | favorito
Quinta-feira, 1 de Dezembro de 2005

A Culpa

Acreditem no que vos digo...</br>
Não há sentimento pior que o Arrependimento e a Culpa.</p>Nos momentos de raiva cega, magoamos as pessoas que mais amamos, e muitas vezes já é tarde e não podemos curar a ferida que deixámos.</p> Quantos momentos de raiva vocês já tiveram?...</p>Momentos em que não se consegue parar e pensar nas nossas atitudes afim de evitar danos que por vezes, poderão ser irreversíveis...</p> Um beijo para todos


menino_roda_camiao.gif</p>


Era um belo dia de Sol, e um velho camionista chega a casa todo orgulhoso.
Chama a sua mulher para ver o lindo camião que comprou depois de longos e árduos 20 anos de trabalho.</p>Era o primeiro que conseguira comprar depois de tantos anos de esforço e estrada.</p>Apartir daquele dia, finalmente seria seu próprio patrão!</p>Ao chegar à porta de casa encontra o seu filho de 6 anos, martelando divertidamente a lataria do reluzente camião.</p>Irado e aos gritos pergunta ao filho o que está a fazer, e sem hesitar e completamente fora de si,martela impiedosamente as mãos do menino,que se põe a chorar desesperado sem entender o que estava a acontecer.</p>A mulher do camionista, corre em socorro do filho, mas pouco pode fazer.</p>Chorando junto ao menino, consegue trazer o marido á realidade, e juntos levam a criança ao hospital para tratar os ferimentos provocados.</p>Passadas várias horas de cirurgia, o médico desconsolado e muito abatido, chama os pais e informa que as dilacerações foram de grande extensão e que os dedos da criança tiveram que ser amputados.</p>Porém a criança era forte e resistira bem ao acto cirúrgico,devendo os pais aguarda-lo no quarto...</p>Ao acordar, o menino ainda sonolento esboçou um sorriso ao pai e disse:
- Pai, desculpa. Eu só queria arranjar o teu camião, como me ensinas-te no outro dia. Não te zangues comigo.</p>O pai enternecido e profundamente arrependido, deu um forte abraço no filho e disse:
-Isso já não tem qualquer importância. Não estou zangado contigo. Estou sim, arrependido de ter sido tão duro contigo, além disso o camião não se estragou.</p>Então o menino com os olhos radiantes perguntou:
- Quer dizer que não estás zangado comigo?</p> - Não, filho. Não estou . -respondeu o pai.</p>Ao que o menino pergunta:
- Pai, se estou perdoado...
Quando é que os meus dedinhos vão crescer de novo?...
publicado por Gina Geadas às 18:24
link do post | comentar | ver comentários (38) | favorito
Domingo, 20 de Novembro de 2005

Precisa-se de Amigo

Os amigos entram e saem na nossa vida sem pedir licença.</p> E quando entram é uma alegria...São boas conversas, conselhos, desabafos, trocas de amizade eterna.</p>O pior é quando eles saem da nossa vida, e pior ainda, quando não sabemos o porquê...</p>Como é possivel termos caminhos tão iguais e ao mesmo tempo tão diferentes de um momento para a outro?</p> Ver alguém que participou na minha vida, de forma tão especial e tão importante, sair sem uma palavra dizer, doi!</p> Doi muito!</p> Descobri que a saudade de um amigo distante doi, mas doi muito mais a saudade de um amigo próximo, que anda distante.</p> Doi ver aquele amigo não dar importância ao que de bom ou mau pode-me acontecer ou até mesmo esquecer o meu aniversário.</p>Doi perder alguém que consideramos nosso amigo.</p>Desculpem, mas não consigo perceber como alguém pode trocar de amigos com a mesma facilidade com que troca de roupa.</p>Como se os amigos fossem descartáveis!</p>Foi preciso magoar-me para aprender a lição, mas a esses amigos digo:</p> Não vou deixar de viver só porque fazem questão de não serem meus amigos!!</p>Um beijo para todos </p>

menina soxinha.JPG</p>


"Não precisa ser homem, basta ser humano, basta ter sentimentos, basta ter coração.
Precisa saber falar e calar, sobretudo saber ouvir.
Tem que gostar de poesia, de madrugada, de pássaro, de sol, da lua, do canto, dos ventos e das canções da brisa.
Deve ter amor, um grande amor por alguém, ou então sentir falta de não ter esse amor.
Deve amar o próximo e respeitar a dor que os passantes levam consigo. Deve guardar segredo sem se sacrificar.

Não é preciso que seja de primeira mão, nem é imprescindível que seja de segunda mão.
Pode já ter sido enganado, pois todos os amigos são enganados.
Não é preciso que seja puro, nem que seja todo impuro, mas não deve ser vulgar.
Deve ter um ideal e medo de perdê-lo e, no caso de assim não ser, deve sentir o grande vácuo que isso deixa.
Tem que ter ressonâncias humanas, seu principal objetivo deve ser o de amigo.
Deve sentir pena das pessoa tristes e compreender o imenso vazio dos solitários.
Deve gostar de crianças e lastimar as que não puderam nascer.

Procura-se um amigo para gostar dos mesmos gostos, que se comova, quando chamado de amigo.
Que saiba conversar de coisas simples, de orvalhos, de grandes chuvas e das recordações de infância.
Precisa-se de um amigo para não se enlouquecer, para contar o que se viu de belo e triste durante o dia, dos anseios e das realizações, dos sonhos e da realidade.
Deve gostar de ruas desertas, de poças de água e de caminhos molhados, de beira de estrada, de mato depois da chuva, de se deitar no capim.

Precisa-se de um amigo que diga que vale a pena viver, não porque a vida é bela, mas porque já se tem um amigo.
Precisa-se de um amigo para se parar de chorar.
Para não se viver debruçado no passado em busca de memórias perdidas.
Que nos bata nos ombros sorrindo ou chorando, mas que nos chame de amigo, para ter-se a consciência de que ainda se vive." </p>
Vinicius de Moraes
publicado por Gina Geadas às 12:49
link do post | comentar | ver comentários (38) | favorito

Sobre Mim...

pesquisar

 

Silêncios Recentes

familia

amo-te?

3 passarinhos

...

O Diamante

Par de Asas

Para-Olimpíadas

Uma marca na tábua

Quero ser um televisor...

O Colar

empresa

A Sabedoria da Borbole...

Silêncios Arquivados

Setembro 2017

Abril 2017

Março 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

blogs SAPO

subscrever feeds