Segunda-feira, 19 de Dezembro de 2005

O que fazer...?

Aproveitando a época Natalicia gostaria de vos alertar para algo que para mim, é no minimo curioso...</p>É curioso, o simples que é para as pessoas dizerem mal de Deus e que não entendem como o mundo vai de mal a pior.</p> Mais curioso ainda, é ver como se pode estar tão crente em Deus ao domingo, e ser um cristão invisível no resto da semana.</p>É curioso como acreditamos em tudo aquilo que lemos nos jornais, mas questionamos as palavras de Deus.</p> É curioso, como todos querem ir para o Céu, mas nada fazem para merecê-lo.</p> É curioso como as pessoas dizem:</br>- "Eu creio em Deus!" - mas, com as suas acções, mostram totalmente o contrário. </p> Desafio-vos a imaginarem-se na situação abaixo descrita, e depois digam-me...o que fariam?...</p>Um beijo para todos com votos de um
Feliz Natal
</p>

crucify.jpg</p>É uma típica tarde de sexta-feira e conduzes em direcção à tua casa.</p> Sintonizas o rádio. O noticiário fala de coisas de pouca importância... Numa cidade distante morreram três pessoas com uma gripe até então totalmente desconhecida.
Não prestas muita atenção ao tal acontecimento.</p>
No dia seguinte, já não são três, mas 30 mil as pessoas mortas pela tal gripe nas colinas remotas da Índia.</br>No outro dia, já a noticia é mais importante, ocupando a primeira página de todos os jornais, porque já não é só na Índia, mas também no Paquistão, Irão e Afeganistão. Enfim, a notícia espalha-se pelo mundo. Chamam-lhe a doença de "La Influenza Misteriosa" e todos se perguntam:</br> -Que faremos para controlá-la?</br> Então, uma notícia surpreende a todos:
Europa fecha as suas fronteiras começando o pânico!</p>Estás ligado em todos os meios de comunicação, para te manteres informado da situação. As informações dizem que, quando se contrai o vírus, é questão de uma semana e nem se percebe, tendo quatro dias de sintomas horríveis levando á morte em questão de horas.Parece que a coisa invadiu o mundo inteiro.</p> De repente, vem a notícia esperada:
Conseguiram decifrar o código de ADN do vírus!</p> É possível fabricar o antídoto! É preciso, para isso, conseguir sangue de alguém que não tenha sido infectado pelo vírus.</p> Corre por todo o mundo a notícia de que as pessoas devem ir aos hospitais fazer a análise ao seu sangue e doá-lo para o fabrico do antídoto.</p>Tu vais voluntariamente com toda tua família e alguns vizinhos, questionando-te: "Será este o final do mundo?"</p> Depois de horas num hospital improvisado um médico sai a gritar um nome que leu no seu caderno.</p>O teu filho mais pequeno, agarra-se ao teu casaco e diz:
- Pai? Esse é o meu nome!</p> E antes que possas dizer algo, levam-te o menino dizendo-te:
- Está tudo bem! O sangue dele está limpo, é sangue puro. Achamos que ele tem o sangue de que precisamos para o antídoto.Vamos só fazer uma nova analise para confirmação.</p> Depois de cinco longos minutos, o médico aproxima-se de ti:
- Obrigado senhor! O sangue de seu filho é perfeito, está limpo e puro. O antídoto finalmente poderá ser fabricado!</p> As pessoas que ali estão, choram de alegria, agradecem as suas preces terem sidos ouvidas ou apenas riem de felicidade.</p> Nisto, o médico aproxima-se de ti e da tua esposa e diz:
- Podemos falar um momento?... Não sabíamos que o doador seria uma criança e precisamos que o senhor assine uma autorização para usarmos o sangue do seu filho.</p> Quando estás a ler, percebes que não colocaram a quantidade de sangue que vão usar e perguntas:</p> - Qual a quantidade de sangue que vão usar? </p>O sorriso do médico desaparece e responde:
- Bem...não pensávamos que fosse uma criança...Não estávamos preparados...Vamos precisar de todo o sangue do seu filho.</p> Não podes acreditar no que ouves e...tratas de contestar:</br>- Mas...</p> O médico insiste:
- O Senhor não compreende?? Estamos a falar da cura para o Mundo inteiro!! Por favor, assine! Nós precisamos de todo o sangue.</p> Tu, então, perguntas:
- Mas não podem fazer-lhe uma transfusão?</p> E vem a resposta:
- Se tivéssemos sangue puro, poderíamos... mas assim, não... Assine! Por favor, assine!</p> Em silêncio, e sem sentir a caneta na mão, tu assinas.</p>Pedes para ver o teu filho uma ultima vez. Caminhas na direcção da sala de emergência onde se encontra a
criança sentada na cama dizendo:
- Pai?! Mãe?! O que está acontecer? </p> - Filho, a tua mãe e eu amamos-te muito e jamais permitiríamos que te acontecesse algo que não fosse necessário, entendes?</p>
O médico regressa:
- Sinto muito senhor, precisamos de começar. O Mundo inteiro está a morrer.</p> E, na semana seguinte, quando fazem uma cerimónia para honrar o teu filho, algumas pessoas ficam em casa a dormir, outras não vêm, porque preferem fazer um passeio ou assistir a um jogo de futebol na TV e outras vêm com um sorriso falso. Tens vontade de parar e gritar:
- O MEU FILHO MORREU POR VOCÊS!!!
NÃO SE IMPORTAM COM ISSO????</p>

Talvez seja isso que DEUS quer dizer:
- O MEU FILHO MORREU POR VOCÊS!!!
publicado por Gina Geadas às 23:35
link do post | favorito
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Sobre Mim...

pesquisar

 

Silêncios Recentes

familia

amo-te?

3 passarinhos

...

O Diamante

Par de Asas

Para-Olimpíadas

Uma marca na tábua

Quero ser um televisor...

O Colar

empresa

A Sabedoria da Borbole...

Silêncios Arquivados

Setembro 2017

Abril 2017

Março 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

blogs SAPO

subscrever feeds